O SÍNDICO COMO GESTOR: 5 DICAS PARA GERENCIAR O CONDOMÍNIO DE FORMA MAIS PROFISSIONAL

Como gerenciar um condomínio: 5 dicas para gestão

Acima de tudo, um bom síndico entende seu valor e a importância de sua função. Por isso, saber buscar a melhoria em seus processos ajuda a gerir o condomínio e beneficia os seus condôminos.

Esta conduta muito se assemelha à utilizada por gestores de empresas. Assim como eles, o síndico deve estar atento a uma série de responsabilidades que envolvem RH, orçamento previsto, contas a pagar e a receber… Tudo para garantir a satisfação e o bem-estar dos moradores.

Da mesma forma, a relação entre condomínio e empresa são grandes. A seguir, mostramos 5 modos de gerenciar seu condomínio como uma empresa, de forma organizada. Confira:

Buscar inovação

Desconfie das tarefas realizadas há muito tempo da mesma forma. Pode-se estar acomodado e preso em um ciclo. Procure achar maneiras mais eficientes de realizar os trabalhos. Portanto, veja como realizam em outros condomínios.

O bom síndico, no papel de um gestor, deve entender o papel de cada colaborador do condomínio. As etapas para a realização de cada função e com isso, estar aberto a ouvir críticas e sugestões de melhorias. Muitas vezes os próprios colaboradores são capazes de contribuir com sugestões úteis sobre como realizar melhor os trabalhos.

A inovação pode vir de diversas formas. Um sistema automatizado de abertura de chamadas pelos condôminos, novos métodos de controles de incêndio, elevadores com sistema inteligente, uma nova solução de aquecimento de água, temporizadores mais inteligentes, ou até na forma de coletar água de chuva são exemplos de inovações.

Cabe ao síndico estar a par das novidades da área de manutenção e gestão predial e aderir a que mais se adequa para seu condomínio.

Saber delegar também é saber gerenciar o condomínio

Por outro lado, um gestor carregado de funções se torna ineficiente. Portanto, saber delegar e ter confiança em seus colaboradores é crucial para o bom andamento da organização.

Dar e receber feedbacks, acompanhar e prover um ambiente que permita o crescimento de seus colaboradores, é muito benéfico para a empresa.

Uma forma de delegar é a contratação de uma administradora predial, uma assessoria jurídica, um auditoria mensal das contas condominiais e até a terceirização de alguns serviços de manutenção predial.

Planejamento e gerenciamento estratégico de recurso

O comandante Rolim, fundador da empresa TAM, que iniciou suas atividades como uma pequena empresa de táxi aéreo e hoje em dia é uma das três maiores companhias aéreas do Brasil, dizia que a melhor maneira de começar a ganhar dinheiro é parar de perder dinheiro.

O respeito pelo bem comum é básico para a figura do bom gestor. O dinheiro que o condomínio ganha é fruto do seu próprio esforço e é entregue à administração em troca da prestação de serviços. Portanto, prezar pelo bom uso deste dinheiro, saber investir, poupar e saber como funciona o planejamento anual do condominio é fundamental.

A forma de uso dos recursos é importante, para que todos os condôminos saibam no que estão sendo investidos o dinheiro, seja em taxas de condomínio, folha de honorários e/ou pagamento de fornecedores, por exemplo.

Essa transparência é parte da boa interação entre o síndico e seus condôminos, o que nos conduz ao próximo item:

Ter boa comunicação é essencial para gerenciar um condomínio

O síndico precisa ser claro em sua fala e cortês no trato com os condôminos, porém firme em suas decisões. Na vida em sociedade, conflitos são inevitáveis. Cabe ao síndico saber lidar com o regulamento do condomínio e às leis da cidade, do estado e do país que regem sua gestão, mediar os conflitos com calma e ser justo em seu julgamento.

Buscar tentar orientar os envolvidos em prol do mesmo objetivo. O melhor ambiente de convivência, está longe de ser uma tarefa fácil, porém é crucial que as decisões vistas por todos prezem o bem comum.

Conhecimento das leis relativas à sua função

Sem dúvidas, para gerir o condomínio os responsáveis devem conhecer as leis referente aos serviços que prestam, as normas de qualidade dos itens que pretendem fazer ou revender, como funciona o código de defesa do consumidor (no caso de uma rede varejista), por exemplo.

Em um condomínio, a parte legal pode ser ainda mais complexa, visto que a ideia é gerir o interesse das pessoas que partilham os mesmos locais.

Portanto, é crucial que o síndico se mantenha a par do básico sobre as leis condominiais, além de ter bom conhecimento do regulamento interno, e garantir que este (lei menor) não vá contra as leis do município, e do estado, ou contra o Código Civil.

Nestes casos, retornando ao item sobre saber delegar funções, pode ser interessante a contratação de uma assessoria jurídica. Porém, mesmo assim, é essencial que o síndico saiba o mínimo, de modo a realizar as suas funções sem problemas.

Em conclusão, quer começar a aplicar essas estratégias e garantir mais eficiência na gestão do seu condomínio? Conheça a solução de aquecimento de água. E toda a economia que ela proporciona para o seu prédio! Faça uma simulação agora!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.